EDITORIAL

SOMOS MUITOS...
Uns como civis,
outros militares,
de todos os continentes
e cores, feitios,e ideologia
, de um lado ,de ambos, ou
do outro lado da barricada,
ou de nenhum dos lados...
Este é o espaço de todos os que
em algum tempo da sua vida comungaram passageiramente, ou enraizadamente do solo e cultura do ex-ultramar lusitano...
do brasil a timor, de macau à india...
Na crisa do sol e da chuva,
da lua e da brisa do mar,
comungamos todos esse olhar sem fim
de esperança na Humanidade...
DESERDADOS DA FORTUNA...
Refractários talvez...
DESERTORES? NUNCA !!!

digite uma palavra

toque

Ocorreu um erro neste dispositivo

Radios do Brasil ao vivo

quinta-feira, 7 de junho de 2012

QUO…ZARATRUSTA? LXXV

 

Nos altos do Sol em brasa,

luz quente, uma águia voa.

Chama-me Fisis, quero viver…

             A Madrugada fria gela , e eu

              choro…

            …pelos mortos, p’los vivos,

               pelos que nascem….

E o vento da natureza, outoniza

em cada nova Aurora;

a auto-destruição consuma-se…

 

…É urgente destruir a autodestruição !

 

Nos altos do sol em brasa

uma águia-Ícaro cai quente!

É preciso, é urgente…

            Não!  A chama dura o que durar !

Desapareça a VIDA, se tem de desaparecer!

Desapareça a PAZ, se tem de desaparecer !

Desapareça o AMOR, se tem de desaparer!

Desapareça a Saudade, se tem de desaparecer!

Desapareça a Tristeza, se tem de desaparecer!

Desapareça o ÓDIO, se tem de desaparecer 1

 

     E o verde da natureza, outoniza

      em cada nova aurora…

   

Que virá  após o “homo funcionalis”,

depois do “homo sapiens”,

do nietzeniano “super-homem” ???

 

___ A CORJA, a “super-raça fornicante”,

espirito vago, calcinado, perro.

automatismo, automático, autómatos…

…merda para o àcido sulfúrico,

   p’ró  AÇO !!!    

 

Coimbra, Jardim das Sereias, 20 de Maio de 1980.

        Renato Gomes Pereira  in “ poesia incontinente”