EDITORIAL

SOMOS MUITOS...
Uns como civis,
outros militares,
de todos os continentes
e cores, feitios,e ideologia
, de um lado ,de ambos, ou
do outro lado da barricada,
ou de nenhum dos lados...
Este é o espaço de todos os que
em algum tempo da sua vida comungaram passageiramente, ou enraizadamente do solo e cultura do ex-ultramar lusitano...
do brasil a timor, de macau à india...
Na crisa do sol e da chuva,
da lua e da brisa do mar,
comungamos todos esse olhar sem fim
de esperança na Humanidade...
DESERDADOS DA FORTUNA...
Refractários talvez...
DESERTORES? NUNCA !!!

digite uma palavra

toque

Ocorreu um erro neste dispositivo

Radios do Brasil ao vivo

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

argivai-online

argivai-online

2 comentários:

José Sousa disse...

Hehehe... engraçado este desenho!
Estou lendo a faxa lateral e digolhe, eu estou inserido nos tais "Retonados", foi uma desgraça que os bandidos portugueses, que se encontravam no governo provisório, nos causaram. Fantóxes como Almeida Santos, Mário Soares, Costa Gomes, Rosa Coutinho, deveria era lhes terem cortado a cabeça. Foram a desgraça dos "Retornados" e são os culpados em na miséria que este país se encontra.

Um abraço

CÁ FICO disse...

Não engeito as responsabilidade sobre o desastroso "processo descolonizador" principalmente de Rosa Coutinho no caso angolano... das figuras que indica...O maior drama da descolonização atabalhoada foram as guerras intestinas nos novos paises..e a o abandono aos regismes anti democráticos e comunistas...Isso foi um crime de lesa humanidade.. corrigido em Timor trinta anos depois e depois de um massacre de Timorenses...Portugal regressou á colónia de Timor para descolonizar efectivamente e com a ajuda internacional da ONU... Nos casos das colónias africanas..verificad a impossibilidade deportugal ter forças suficiente para uma transição pacifica do poder deveria ter pedio o apoio da ONU..o que redundaria certamente em outra realidade socio politica que não interessava ao poder PREC - proto-soviético que entretanto se apoderou do poder em lisboa e que só foi banido com o 25 de novembro